Poema e arquitetura: você sabe o que os dois têm em comum?

A arte existe de diversas formas. Umas mais clássicas como a música, pintura, escultura; outras diferenciadas como a literatura e a arquitetura. Arte é texto e traço, forma e abstração que nos tiram do óbvio e ampliam os horizontes. Assim como as janelas de um edifício que se abrem para o mundo exterior, também os poemas abrem os nossos olhos e sentimentos para experimentar a vida de novas formas. Segundo o grande arquiteto Oscar Niemeyer, De um traço nasce a arquitetura. E quando ele é bonito e cria surpresa, ela pode atingir, sendo bem conduzida, o nível superior de uma obra de arte.” Assim como a arquitetura, dos traços, transcritos em palavras e formas nascem os poemas. Inspirada nessas duas formas de arte, a Censi Fisa pontua aspectos em comum entre os poemas e a arquitetura. Acompanhe!

 

Ambos são inspiração

 

Dizem que os verdadeiros poetas não lêem os outros poetas, mas lêem pequenos anúncios de jornais. Se esta é somente uma metáfora, provavelmente tem um fundo de razão: a inspiração vem de onde menos se espera. Acontecimentos cotidianos e casos corriqueiros têm o poder de conectar pessoas em diferentes momentos da vida.  Encontrar beleza nas coisas simples é uma das principais metas dos poemas, que transformam em arte o que se faz presente na vida de cada um. 

A arquitetura, da mesma forma, busca inspiração na vida cotidiana. Na luminosidade do sol, nas formas das árvores e nas diferenças entre os relevos. Texturas, sensações, experiências… tudo está implícito no propósito arquitetônico, que visa muito mais do que a edificação em si, mas o bem-estar das pessoas que circularão pelo espaço.

 

Ambos são construção

 

Oscar Niemeyer diz que a “arquitetura é antes de mais nada construção”, ou seja, é arte em forma física, feita de concreto, aço, estruturas e materiais que, com muito trabalho, transformam-se em um empreendimento palpável. Os poemas também são resultado dos esforços dos poetas de colocar em palavras as vivências e os sentimentos mais diversos. Tanto poemas quanto empreendimentos comunicam ao mundo pelo simples fato de serem e existirem. A presença, a forma, a imponência e a mensagem que passam são a materialidade desta construção.

A Censi Fisa traz, em todos os seus empreendimentos, os conceitos de luxo, arquitetura e arte. Para nós, é natural alinhar os poemas com os empreendimentos arquitetônicos, pois ambos transformam a experiência de vivenciar o mundo a nossa volta. Conheça mais em nosso site