Paulo Mendes da Rocha: conheça história e obra de um dos maiores arquitetos brasileiros

Nascido em Vitória, no Espírito Santo, em 1928, Paulo Mendes Rocha é um arquiteto e urbanista brasileiro. Em 2006, foi ganhador do Prêmio Pritzker, o mais importante da arquitetura mundial. Já em 2016, foi agraciado com dois prêmios, o Leão de Ouro, concedido pela Bienal de Veneza pelo conjunto de sua obra, e o Prêmio Imperial do Japão.

Formado arquiteto e urbanista pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo, Paulo Mendes da Rocha alcançou destaque logo cedo em sua carreira, ao projetar o Ginásio do Clube Atlético Paulistano. Por suas características visionárias, a obra, com seis pilares de concreto que se afinam ao encontrarem o solo, é considerada precursora do que seria considerada a virada brutalista na arquitetura brasileira.

 

Paulo Mendes
Ginásio do Clube Atlético Paulistano, em São Paulo.

 

Quando torna-se professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU/USP), em 1961, Mendes da Rocha passa a fazer parte do movimento Escola Paulista, capitaneado por Vilanova Artigas. Esse movimento se caracterizava-se pelo brutalismo, com o uso do concreto armado aliado a grandes vãos, buscando uma relação entre o indivíduo e o espaço de maneira introspectiva, sem barreiras e também monumental.

A arquitetura de Paulo Mendes da Rocha busca uma visão poética sobre a forma, fugindo do supérfluo, entregando estruturas oportunas e que sejam um aporte aos habitantes das cidades. Para o arquiteto, é fundamental que a arquitetura seja entendida por qualquer um que esteja a passear pelos espaços urbanos, bem como que habilite a conversa entre os indivíduos. Desta forma, para Mendes da Rocha, nenhum espaço é privado, e o acabamento da arquitetura da cidade é feito pelas pessoas que a completam, em suas rotinas, hábitos e significações cotidianas.

Se são as pessoas que inauguram e dão sentido aos lugares através de suas ações, o principal objetivo de Paulo Mendes Rocha é o de edificar concretos aliados a grandes vãos, modificando a topografia do espaço. Assim, com a redefinição dos espaços geográficos, os fluxos de circulação no entorno da obra são favorecidos, derrubando barreiras de exploração humana nas obras arquitetônicas da cidade.

Segundo Paulo Mendes da Rocha, os espaços devem ser estruturados para libertar a vida e permitir a aventura do humano no tempo e na terra. Sua grande missão como arquiteto é a de amparar a imprevisibilidade da vida, promovendo potências exploratórias e novos caminhos a serem seguidos na vida urbana.

 

Assim como Paulo Mendes da Rocha, a Censi Fisa acredita que a arquitetura deve permitir uma conexão, de maneira harmônica, entre a cidade e seus habitantes. Confira nossos empreendimentos.

 

Explore a galeria e suas principais obras, que têm como pilar uma arquitetura crua, limpa, clara e socialmente responsável:

 

Paulo Mendes
Sesc 24 de Maio, em São Paulo.

 

Paulo Mendes
Museu Brasileiro da Escultura, em São Paulo.

 

Paulo Mendes
Casa Gerber, em Angra dos Reis.

 

Paulo Mendes
Pavilhão brasileiro da Feira Internacional de Osaka, no Japão.

 

Paulo Mendes
Museu Nacional dos Coches, em Lisboa.

 

Paulo Mendes
Capela de São Pedro, em Campos do Jordão.

 

Paulo Mendes
Casa Gerrasi, em São Paulo.

 

Paulo Mendes
Casa Butantã, em São Paulo.

 

Paulo Mendes
Sesc 24 de Maio, em São Paulo.